Alunos
Candidatos
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Sistema AcadêmicoInscreva-se
CARREGANDO...
Artigo

Não passei no Sisu, e agora? Saiba quais as opções!

Artigo

Não passei no Sisu, e agora? Saiba quais as opções!

Não passei no Sisu, e agora? Essa é uma dúvida comum entre jovens que participaram do programa e não alcançaram uma vaga. A boa notícia é que existem outras opções para quem pretende fazer um curso superior.

Apesar do bom número de vagas oferecidas, é comum que vários candidatos fiquem de fora do grupo de selecionados, pois a concorrência também é alta. Nesse momento, muitos não sabem como agir e qual caminho seguir, porém, existem diversos meios de chegar ao Ensino Superior, como bolsas de estudo ou financiamentos estudantis, além de outros programas governamentais.

Neste post, explicaremos como funciona o Sisu e mostraremos as principais alternativas para quem não foi aprovado pelo sistema. Acompanhe!

Como funciona o Sisu?

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) é um programa de seleção de estudantes, administrado pelo Ministério da Educação (MEC), no qual instituições públicas de Ensino Superior oferecem vagas a candidatos que tenham prestado o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Quem está interessado em uma vaga na universidade pública se inscreve no Sisu usando o mesmo número de inscrição e senha utilizados para participar da última edição do Enem. Desse modo, se o candidato prestou o exame em um ano diferente do que foi solicitado pelo sistema, a inscrição não será aceita.

O sistema utiliza as notas que o candidato tirou no Enem e seleciona os melhores para preencher as vagas de um mesmo curso, instituição, turno e modalidade de concorrência. Quem tiver a maior nota ocupa a primeira vaga e assim por diante, até todas as alternativas serem preenchidas. Portanto, quanto maior for a nota do exame, maior será a chance de passar no Sisu.

Lista de espera

O candidato que não conseguir alcançar alguma vaga nas duas opções de chamada regular do programa ainda tem a opção de utilizar a lista de espera. Desse modo, ele fica esperando oficialmente pela primeira opção de curso e poderá, caso haja vaga, ser convocado pela instituição desejada em outras chamadas.

As datas, locais, horários e requerimentos para a chamada da lista de espera são de responsabilidade de cada instituição, então o candidato precisa prestar atenção às informações do curso pelo qual tem interesse para não perder nenhuma oportunidade.

Quais são as principais opções para quem não passou no Sisu?

Não passei no Sisu, e agora? Passadas as oportunidades por meio do Sisu, os interessados em cursar uma graduação ainda podem explorar outros sistemas de seleção para conseguir uma vaga. Na sequência, mostraremos alternativas para quem ainda busca seu lugar no Ensino Superior. Confira!

FIES

O Programa de Financiamento Estudantil (FIES) está entre as possibilidades. Nesse sistema, os estudantes que desejam cursar uma graduação em uma instituição de ensino particular recebem o financiamento dos estudos. Desse modo, os custos do curso só serão pagos após o término da graduação.

Em 2018, o programa foi reformulado. Pelas regras atuais, o financiamento pode ser realizado com juros real zero e até 14 anos para quitar o débito. Além disso, podem participar pessoas com renda de até 3 salários-mínimos por membro do grupo familiar, e o valor financiado é proporcional a esses ganhos mensais.

A instituição escolhida precisa estar cadastrada no programa e ter uma boa avaliação no MEC. Já a inscrição do aluno ocorre com a nota do Enem, em exames de 2010 em diante, exigindo-se o mínimo de 450 pontos na prova objetiva e acima de zero na redação.

O processo seletivo é online e aberto uma vez por semestre. Na ocasião, você fará o cadastro no site do FIES e indicará três opções de curso em ordem de preferência. Caso supere a nota de corte — que depende da relação candidato-vaga —, você pode ser selecionado diretamente ou entrar para lista de espera.

O último passo é comprovar os dados apresentados junto à Caixa Econômica Federal, com comprovantes de renda e documentos pessoais. A lista de espera do FIES existe justamente para que, caso alguém não cumpra essa etapa, seja possível convidar outro candidato, em segunda chamada.

ProUni

Outra opção é o Programa Universidade para Todos (ProUni). Essa é uma alternativa que oferece bolsas de estudo que podem ser parciais (50%) ou integrais (100%). Para concorrer a uma das vagas o candidato precisa tirar uma nota superior a 450 pontos no Enem e não zerar a redação.

Ainda existem outros requisitos do ProUni, como ter feito o Ensino Médio na rede pública ou em escola particular por meio de bolsa de estudos. Quem deseja uma bolsa integral precisa comprovar renda bruta de no máximo 1,5 salário-mínimo por membro da família. No caso da parcial, ela pode ser de até três salários-mínimos por pessoa.

A inscrição é similar ao processo do FIES com início nos meses seguintes à divulgação da nota do Enem. No entanto, o processo regular só pode ser acessado pelo candidato que fez a prova mais recente. Além disso, você fica limitado a apenas duas opções de curso superior, em ordem de preferência.

Na última etapa, a apresentação de documentos não ocorre na Caixa Econômica Federal, mas na própria instituição de ensino. Igualmente, você pode buscar uma oportunidade caso os primeiros colocados não comprovem as informações ou desistam da vaga, desde que tenha ultrapassado a nota de corte e esteja na lista de inscrição do ProUni.

Vagas remanescentes

Quando uma bolsa do ProUni passa pela primeira e segunda chamadas sem sucesso, as vagas remanescentes são distribuídas em um novo processo seletivo. Nesse segundo momento, podem concorrer candidatos aprovados em qualquer Enem de 2010 em diante.

Sisutec

O Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec) também está entre as opções para quem não alcançou uma vaga pelo Sisu. As vagas disponíveis nesse sistema são para cursos de educação profissional e tecnológica, sendo que a nota do Enem é a forma de seleção.

Os requisitos são ter concluído o Ensino Médio na rede pública ou em instituições particulares, desde que por meio de bolsa integral. O estudante também não pode ter zerado a redação do Enem.

Vale ressaltar que, diferentemente dos demais programas governamentais, o Sisutec não abre vagas regularmente a cada semestre. A última edição ocorreu no segundo semestre de 2015. Por isso, caso você se interesse por um curso técnico, o ideal é buscar oportunidades de bolsas diretamente nas escolas técnicas.

Além disso, os cursos tecnólogos são uma excelente alternativa. Essas formações de nível superior têm duração que varia entre 2 e 3 anos. Portanto, você consegue rapidamente se colocar com o diferencial de ter um diploma.

Vestibulares

Outras instituições de Ensino Superior também utilizam o Enem como forma de seleção para os cursos de graduação. Isso pode ser feito de maneiras diferentes, já que algumas instituições aproveitam a nota do exame de forma parcial, combinando com a prova tradicional, enquanto outras utilizam a nota integral, sendo o único critério para a admissão de novos alunos.

Assim, o candidato pode escolher se prefere a prova convencional ou o aproveitamento do resultado do Enem — alternativa mais utilizada por quem deseja entrar em instituições particulares de ensino. Além disso, ao fazer a matrícula, é possível buscar as condições especiais oferecidas pela graduação.

Nesse sentido, o vestibular pode ser realizado enquanto você aguarda os resultados do ProUni e FIES, que dependem da concorrência pelas vagas e da nota do Enem dos candidatos. Normalmente, os resultados são divulgados bem próximo do início dos semestres, e a segunda chamada pode demorar até a primeira ou segunda semana de curso.

Por isso, é importante escolher uma boa faculdade e realizar o processo seletivo. Caso você já esteja matriculado e conquiste o benefício, é possível optar pelo crédito ou bolsa mais favorável, seja o ProUni, seja o FIES. Logo, você corre menos riscos, pois não ficará esperando o resultado sem tomar as providências para iniciar os estudos.

Como escolher entre essas alternativas?

Agora você já sabe como responder à pergunta: não passei no sisu, e agora? FIES, ProUni, Sisutec e vestibular são as opções disponíveis e podem ser utilizadas para se qualificar para o mercado de trabalho. Além disso, fique atento às condições oferecidas pela faculdade escolhida.

Igualmente, é importante avaliar as alternativas e escolher aquela que se encaixa à sua necessidade, a fim de otimizar o seu esforço. Confira se você está dentro dos requisitos mínimos para a vaga, como no ProUni e no Sisutec, que exigem o Ensino Médio feito em escolas públicas ou particulares, desde que com bolsa integral. Se esse não for o caso, esses dois programas devem ser excluídos de suas alternativas.

Além disso, verifique a disponibilidade de cursos e instituições cadastradas, entendendo quais programas contêm a graduação que você deseja fazer. É importante ler todas as informações, pois você precisa estar por dentro dos prazos de inscrição e dos requisitos necessários para ingressar em um curso superior.

O questionamento "não passei no Sisu, e agora?" não deve ser motivo de preocupação, visto que há várias opções disponíveis para quem pretende cursar uma graduação. Como vimos, as alternativas são variadas e abrangem vários estilos de seleção, que vão desde o financiamento até bolsas integrais de estudo. É importante prestar atenção aos prazos de cada programa para não perder nenhuma oportunidade.

Gostou deste post? Quer ajudar mais colegas a encontrar a opção ideal para entrar na graduação? Compartilhe o texto nas suas redes sociais e contribua para que mais pessoas alcancem seus sonhos!

INSCREVA-SE PARA RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS

Receba as novidades em seu e-mail

Fique por dentro dos  eventos, notícias e conteúdos da Faculdade Arnaldo.

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.